Aluguel que vence em julho pode subir mais de 35%

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) já subiu mais de 0,6% e prevê que o preço do aluguel que possui o vencimento no mês de julho aumente cerca de 35%. Ou seja,  o valor que antes era de R$ 1000 deve ir para R$ 1350 em algumas regiões brasileiras. Entretanto, o salário mínimo pago atualmente está em R$ 1100 e não cobre os gastos básicos de uma família de duas pessoas. 

Em algumas regiões, como em Brusque, Santa Catarina, uma kitnet pequena está custando na faixa de R$ 800 enquanto um apartamento de 40 metros quadrados está por volta de R$ 1300. 

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto organiza manifestações em todo o país para lutar pela diminuição dos preços das moradias e argumentam que, segundo a Constituição brasileira, todos possuem direito de obter um lugar digno para morar e de forma acessível. 

De acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV), o índice de aumentos somente em 2021 já é de 15% e quando se analisa o acumulado de um ano, está em 35%. As causas são as mais variáveis, principalmente o aumento da inflação. 

- Continua Depois da Publicidade -

Se o dono cobrava R$ 700 quando a inflação era de 4%, agora que está em 8%, deve duplicar para que receba o mesmo valor porque R$ 700 vale menos que antes. Quanto maior a inflação, menos vale o  real. Os donos de residências e apartamentos aumentam os valores de acordo com a inflação e demanda de mercado, contudo, o salário mínimo continua sempre estagnado e não deve apresentar aumentos no próximo ano. 

A taxa Selic em 5,5% no mês de dezembro deve controlar a inflação. 

Renegociação do aluguel

Especialistas argumentam que neste momento, é ideal buscar outra casa ou apartamento para morar ou então, tentar negociar os valores com os donos dos imóveis. Há como pedir um aumento menos brusco no valor visto que muitas vezes, não é possível realizar o pagamento. 

Leia também: Auxílio emergencial: quais os impactos dele na inflação de maio?

 
Daiane Souzahttps://otrabalhador.com/
Nascida em Santa Catarina, atualmente estuda história pela FURB, atuando com a redação política. Trabalha há mais de três anos como redatora profissional experiente em SEO e Copywriter. Apaixonada por literatura, filosofia e escrita.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui