Auxílio emergencial de R$ 500: veja se tem direito a receber

O deputado André Janones propôs um novo valor para aqueles que desejam receber o auxílio emergencial. De acordo com ele, deve-se ser de R$ 500 até o fim de 2021. O presidente Bolsonaro já argumentou algumas vezes que o benefício não deve ser visto como uma aposentadoria e que serão apenas 04 parcelas até que o comércio volte a funcionar. 

A intensa crise parece estar diminuindo no país visto que o dólar, que antes estava acima de R$ 5,65 voltou para a faixa de R$ 5,22 na tarde de ontem (11). O intuito do Banco Central é controlar a inflação e fazer com que a moeda brasileira volte a ser valorizada. 

Para o deputado, os beneficiários teriam que ter mais de 18 anos. Atualmente, são três valores que dependem exclusivamente da estrutura de cada família. O menor valor é de R$ 150 para aqueles que moram sozinhos, R$ 250 para famílias ou grupos de duas ou mais pessoas e de R$ 375 para  as mulheres que são responsáveis pelo sustento da casa de forma solo. 

A nova proposta prevê que, assim como no último ano em que eram dois beneficiados por família, o mesmo volte a acontecer neste ano. Ou seja, duas pessoas devem receber o valor. 

- Continua Depois da Publicidade -

Aqueles que receberam de forma contra a lei, ou seja, que falsificaram informações em benefício próprio, devem devolver a todos os valores. Quem não o fizer, estará sujeito ao processo de estelionato. Alguns, tiveram que devolver automaticamente após declarar o imposto de renda e o sistema ver que o indivíduo falsificou. Assim, lançou-se uma gru automática.  

Mas, para aqueles que ainda não declararam e falsificaram informações para receber, podem entrar no site do ministério da Cidadania para devolver todos os valores. 

Pobreza no Brasil

O deputado informou que agora existem mais pessoas na linha de pobreza que no ano de 2011. Somente em março, mais de um milhão de pessoas ficaram negativadas no Serasa por atrasarem as dívidas por mais de 90 dias. A pobreza aumentou em 27 milhões. 

Não é só o Brasil, entretanto, que sofre com a situação: na Colômbia, o governo realizou grandes aumentos de impostos e a população não vê o retorno deles. Com uma possível reforma tributária, causou-se uma revolta social em que dezenas de pessoas morreram com as forças policiais, que mais tarde seriam condenadas. 

Auxílio emergencial e a baixa chance de aprovação

- Continua Depois da Publicidade -

Os analistas políticos argumentam que o projeto não tem grandes chances de ser aprovado. No mês de março, ocorreu a assinatura da PEC Emergencial, que é uma emenda que prevê onde o governo deveria cortar para que conseguisse fornecer o benefício. Ela prevê que haja o corte do salário de servidores, inclusive professores, em até 25%. 

De acordo com a UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais, isso pode fazer com que o PIB decaia em mais de 1,4%. 

O governo não tinha verbas, ou acusa não ter, para fornecer o benefício de R$ 250  que é a média recebida pela população. E, para que fosse possível, tiveram que realizar uma série de cortes na saúde e educação. 

Se com R$ 250 já se tornou quase inviável, o valor de R$ 500 seria quase um sonho impossível de acontecer. Já no ano passado o valor saiu de R$ 600 para R$ 300 justamente pela falta de verbas para manter o benefício do auxílio emergencial. 

Aumento no Bolsa Família

- Continua Depois da Publicidade -

Aqueles que recebem o Bolsa Família podem receber o auxílio emergencial se o valor que recebiam anteriormente fosse mais baixo que o atual fornecido.

Bolsonaro já afirmou na última semana que pretende aumentar a média do Bolsa Família para cerca de R$ 250 e que antes era R$ 192. Esse projeto tem o intuito de melhorar a reputação do governo em zonas periféricas cujo a rejeição já foi superior a 58% com o fim do auxílio emergencial.  Esse aumento, segundo ele, deve acontecer até o mês de outubro. 

Nesta semana, o presidente argumentou que tem o intuito de lançar um novo programa social semelhante ao Bolsa Família, mas não liberou informações extras sobre os valores e requisitos para aqueles que desejam participar. Jair disse que mais informações seriam liberadas com o decorrer das próximas semanas. 

No dia 16, próximo domingo, devem começar a receber a segunda rodada do auxílio emergencial aqueles que nasceram no mês de janeiro. Vale ressaltar, entretanto, que o dinheiro permanece no aplicativo e não permite saques ou transferências, apenas pagamentos. Então, se precisar dele em sua conta bancária, pode criar um boleto de depósito e pagar pelo Caixa TEM. 

 
Daiane Souzahttps://otrabalhador.com/
Nascida em Santa Catarina, atualmente estuda história pela FURB, atuando com a redação política. Trabalha há mais de três anos como redatora profissional experiente em SEO e Copywriter. Apaixonada por literatura, filosofia e escrita.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui