Novo auxílio emergencial de R$ 500 pode ser liberado até dezembro de 2021

O novo auxílio de R$ 500 deve ser liberado até o fim de dezembro de 2021. O governo está com o intuito de reforçar os programas sociais a fim de aumentar a boa reputação. Em janeiro e fevereiro, com  o fim dos R$ 300, a rejeição em zonas periféricas foram acima de 58%.

A proposta de aumentar os valores foi criada pelo deputado André e está sendo analisada pela Câmara. Alguns críticos argumentam que ele não vai ser viável visto que o governo não tem verbas para reforçar os valores.

Já foi, por exemplo, necessário aprovar uma emenda constitucional para que o novo benefício, que começou em abril, fosse liberado. Dessa forma, haveriam novos cortes na saúde e na educação para que sobrassem verbas.

O imposto de renda não pôde ser adiantado novamente para o mês de junho como era pretendido justamente porque o governo não conseguiria usar o dinheiro para pagar o auxílio emergencial de R$ 150 para aqueles que moram sozinhos, R$ 250 para aqueles que moram em dois ou mais e de R$ 375 para as mulheres que são responsáveis pelo sustento solo da casa.

Nova regra do auxílio emergencial

- Continua Depois da Publicidade -

De acordo com as novas regras, o benefício pode ser limitado, assim como no ano de 2020, a dois beneficiários por cada família.

De onde vem esse dinheiro? Ele pode vir do lucro de todas as dívidas quitadas de pessoas jurídicas. Por exemplo, a Declaração Anual do MEI que é entregue por mais de 11 milhões de microempreendedores individuais todos os anos.

Outro ponto de onde será retirada as verbas é dos lucros do Banco Central nas operações cambiais, ou seja, durante a compra e venda de moedas como o dólar.

A contribuição social do PIS e Confins deve influenciar para que o valor final chegue na população e seja financiado.

- Continua Depois da Publicidade -

Ela está em caráter conclusivo ao ser analisada pela Câmara, dessa forma, em breve pode apresentar uma resposta.

O presidente Bolsonaro afirmou que pretende criar um novo programa social, mais baixo que o auxílio emergencial e mais alto que o Bolsa Família, ainda neste ano.

Acrescentou também, em algumas de suas entrevistas, que pretende aumentar a média dos valores do BF para R$ 250 e diz que, apesar de saber que é pouco, é o que pode fazer no atual momento.

O deputado disse que o valor deve ser dado para a população até o final de dezembro e que, segundo ele, existem milhares de pessoas na pobreza muito antes de 2011 quando começou o BF.

- Continua Depois da Publicidade -

Saiba mais sobre notícias dos direitos do trabalhador ao conhecer nossa plataforma, clique aqui!

Avalie Nosso Conteúdo!
Avalie Nosso Conteúdo!
 
Daiane Souzahttps://otrabalhador.com/
Nascida em Santa Catarina, atualmente estuda história pela FURB, atuando com a redação política. Trabalha há mais de três anos como redatora profissional experiente em SEO e Copywriter. Apaixonada por literatura, filosofia e escrita.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe seu Comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui