Salário mínimo de países da América Latina

O salário mínimo dos países da América Latina é muitas vezes baseado em dólar, sendo o do Brasil somente de US$ 225 enquanto a Costa Rica conta com um dos valores mais elevados, sendo mais de que o dobro: US$ 514. Outros países do continente que também, estão com tetos mais altos que o povo brasileiro são Uruguai US$ 434,  Equador US$ 425,  Chile US$ 420, Guatemala US$ 405  e Paraguai US$ 329. Um dos tetos mais baixos é o de Cuba, país que foi bloqueado economicamente pelos Estados Unidos, sendo de  US$ 79. 

Inflação da Venezuela faz com que o país tenha um salário mínimo miserável  de US$ 1,52

De acordo com o Banco Central da Venezuela, a taxa de inflação do ano de 2021 foi de 682%, sendo menor que o obtido durante a pandemia no ano de 2020 quando chegou a  uma faixa de quase 3000%. A elevada desvalorização do dinheiro faz com que os cidadãos tenham o valor do salário mínimo muito abaixo que o Brasil, México e outros países, sendo de US$ 1,5. Devido a isso, muitos migrantes tentam invadir países vizinhos como forma de conseguir melhorar as condições de vida. 

O problema da Venezuela é que a hora de trabalho de cada cidadão está por volta de S$ 0,006. No entanto, o valor da cesta básica no país é elevado, sendo de US$ 340: muitas pessoas acabam passando fome com a situação.

Valor  no Brasil não acompanha a inflação 

Durante o ano de 2021, a inflação acumulada do Brasil foi de 10,06%, de acordo com dados que foram fornecidos pelo Banco Central. No entanto, o valor do salário mínimo não acompanha a desvalorização do dinheiro: o reajuste foi menor que essa porcentagem. Logo, os aposentados e os trabalhadores  que recebem apenas o básico previsto pelo teto saem em desvantagem com perda de poder aquisitivo.