Perícia do INSS agendada: mesmo com greve segurado deve comparecer

Já passaram mais de 45 dias que os médicos peritos do INSS estão em greve e sem previsão de fim. Apesar disso, os segurados que aguardam a concessão ou a manutenção de um benefício por incapacidade e não comparecerem a uma agência na data marcada para a perícia médica correm o risco de ter o pedido negado ou o pagamento suspenso.

Quais os procedimentos?

O comparecimento ao posto, mesmo assim, deve ser feito apesar da paralisação. É importante respeitar o dia agendado mesmo que a pessoa não seja atendida.

Via de regra, o instituto não poderia negar ou cortar benefícios quando há uma paralisação de servidores. Mas há casos em que isso acontece.

Se a pessoa comparecer à agência e não for atendida, um funcionário da unidade poderá reagendar o exame, ou o interessado poderá pedir que lhe seja dado um comprovante de comparecimento.

O benefício só é suspenso se a pessoa faltar à perícia e não justificar a ausência ou não pedir a remarcação.

Remarcação pelo site ou telefone

Caso não possa ir ao INSS, o segurado tem como pedir a remarcação pela central telefônica 135 e pelo Meu INSS. No entanto, caso não compareça no dia marcado e não ligue ou acesse a web para reagendar o exame, o INSS vai negar ou cortar o benefício.

Benefícios que precisam passar por perícia

No caso de prorrogação do auxílio-doença, é possível fazer o pedido pela central de atendimento 135 ou pelo aplicativo/site Meu INSS com, pelo menos, 15 dias antes da data da alta programada. 

Caso a convocação para a realização da perícia médica seja feita por carta enviada pelo INSS, deve-se ligar para o telefone 135 ou acessar o aplicativo ou o portal. Para isso, é preciso criar login e senha de acesso e marcar o exame.

No dia do atendimento médico, é importante levar documento pessoal original com foto (identidade, carteira de habilitação ou carteira de trabalho) e documentos médicos originais (exames, laudos e receitas).

As perícias médicas estão sendo feitas para  a manutenção dos seguintes auxílios:

  • Benefício de Prestação Continuada (BPC), caso seja um beneficiário por deficiência;
  • Auxílio-doença;
  • Aposentadoria por incapacidade permanente;
  • Aposentadorias da pessoa com deficiência;
  • Auxílio-acidente.

Será necessário o beneficiário que não for atendido realizar uma reclamação na ouvidoria do governo através da Fala.BR. O procedimento é uma dele não correr o risco de perder o benefício pelo não comparecimento à consulta médica, pois cria-se uma comprovação de que o agendamento não foi cumprido pela instituição, e não pelo cidadão.