Governo avalia criar “bolsa internet”. Veja quem poderia receber

Ideia é pagar a bolsa para os cidadãos em situação de vulnerabilidade social e que fazem parte do Cadúnico. Veja como plano funcionaria na prática
- Anúncio -

O governo de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) avalia neste momento a possibilidade de criar uma Bolsa Internet. A ideia é basicamente permitir a diminuição do preço da banda larga para os usuários que possuem conta ativa e atualizada no sistema do Cadúnico do Governo Federal.

Segundo informações de bastidores colhidas pelo jornal Folha de São Paulo, a ideia teria partido do próprio presidente eleito. Lula teria repassado ao grupo de transição que pretende criar um programa de universalização da internet para as pessoas mais humildes, assim como o antigo Luz Para Todos conseguiu universalizar a energia elétrica.

- Anúncio -

“O presidente Lula pediu um Luz para Todos para internet e, após diagnóstico do grupo de trabalho, chegamos à conclusão de que a prioridade é baratear o acesso por banda larga, já que muitas pessoas não estão conectadas por causa do preço”, disse Paulo Bernardo, que é coordenador do grupo de trabalho de Comunicação.

A ideia é que o Bolsa Internet funcione basicamente como a Tarifa Social de Energia Elétrica funciona hoje, com descontos que podem chegar até a 65% na conta mensal. O cidadão que faz parte do Cadúnico teria direito a um desconto no sistema, para que ele tenha acesso ao universo da internet com um pouco mais de facilidade.

O grupo de comunicações também começou a discutir a possibilidade de aumentar o nível de cobertura da internet via fibra ótica no país. Contudo, o fato é que a ideia inicial é mesmo trabalhar na Bolsa Internet para tentar ajudar primeiramente as pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Destaques sobre *** por e-mail

Bolsa Internet

Ainda segundo membros do grupo de transição na área de comunicação social, a ideia de criar uma Bolsa Internet vai além de uma questão recreativa. Eles avaliam que será necessário realizar este projeto para ajudar na diminuição da desigualdade digital do país.

“Se olhamos os dados frios, cerca de 80% das pessoas já se conectam à internet; mas, na verdade, sabemos que a maioria não tem acesso significativo”, disse Helena Martins, uma das coordenadoras do GT.

O grupo também vem analisando a possibilidade de criar políticas para levar internet para as zonas rurais do país. Hoje, várias destas áreas já possuem conexão de banda larga, mas a chegada nestes locais costuma ser mais difícil.

Vale sempre lembrar que tudo isto ainda está no campo das ideias. Até conseguir aprovar estas propostas, será preciso aplicar uma série de novos estudos. Ainda será necessário conseguir aprovar mais orçamento para a área. Até por isso, ainda não dá para cravar uma data para o início destes projetos.

- Anúncio -
Leia também
×
App O Trabalhador
App do Trabalhador
⭐⭐⭐⭐⭐ Google Play - Grátis