Saque-aniversário do FGTS pode acabar!

Novamente o ministro do Trabalho e Emprego criticou o saque-aniversário do FGTS, o que deixou dúvidas se o benefício deve continuar
- Anúncios -

Novamente o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho (PT), criticou o saque-aniversário do FGTS, o que deixou dúvidas se o benefício deve mesmo continuar neste 2023. Em suas declarações, Marinho chegou a dizer que a modalidade “deixa o trabalhador na rua da amargura”.

Confira: como comprar um carro com o FGTS?

- Anúncios -

“O saque-aniversário esvazia, enfraquece o fundo, e cria um trauma”, disse ele, em entrevista para a Folha de São Paulo. 

E completou: “trabalhadores me ligam, mandam mensagem, dizendo: olha, acaba com esse saque-aniversário, porque entrei nesse engodo. Quem é demitido não pode sacar o saldo. Deixa o trabalhador na rua da amargura no momento em que ele mais precisa sacar. Ele é opcional, mas está errado”. 

O ministro chegou a ser questionado como resolveria a situação com os bancos, já que muitos empréstimos têm usado a modalidade como garantia de pagamento. “Problema é dos bancos, não é problema meu. Ninguém mandou emprestar”, declarou. 

Destaques sobre *** por e-mail

Apesar disso, Marinho não descartou a possibilidade de levantar os valores que ainda estariam pendentes do empréstimos, mesmo assim, defendeu que “muito provavelmente os bancos podem encontrar um jeito de segurar a onda”.

O que é o saque-aniversário do FGTS? 

O saque-aniversário do FGTS é uma modalidade em que o trabalhador tem direito a retirar parte do dinheiro do fundo no mês em que nasceu. O problema apontado pelo ministro é que se por uma lado há essa liberação, por outro, ao ser demitido sem justa causa, o trabalhador perde direito ao saque da multa de 40%. 

A empresa continua com a obrigação de pagar 40% sobre o valor depositado no FGTS, mas a multa fica retida no fundo e o trabalhador só pode sacar o restante do dinheiro referente ao depositado nos meses em que trabalhou. 

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que Marinho dá declarações contra o saque-aniversário do FGTS, situação parecida aconteceu no início do ano, mas o político recuo na sequência. 

Ainda posso aderir?

Enquanto uma decisão definitiva não é tomada, o saque-aniversário do FGTS continua em vigência, com o calendário completo já divulgado. Desta forma, o prazo para cada pessoa aderir segue até o último dia do mês de aniversário. 

Vale ainda destacar que os valores são liberados com percentual específico e não a totalidade do fundo – para conferir o calendário e os valores confira nosso artigo especial sobre o assunto. 

O conteúdo foi útil? Compartilhe em suas redes sociais e ajude outras pessoas a entenderem a situação.

- Anúncios -
Leia também
×
App O Trabalhador
App do Trabalhador
⭐⭐⭐⭐⭐ Google Play - Grátis