Organização é o segredo para a entrega correta do IR 2023

Agora é a hora de juntar os documentos e se preparar para ser um dos primeiros a entregar
- Anúncios -

O envio da declaração do Imposto de Renda 2023 começa apenas em março. Porém é possível se adiantar e reunir desde já os documentos necessários.

Afinal, quem entrega a declaração logo no início do prazo garante chances maiores de receber a eventual restituição do IR antes, além de se livrar da obrigação mais cedo.

- Anúncios -

O Contribuinte já pode iniciar preparativos do Imposto de Renda 2023 para garantir o atendimento ao prazo e melhores práticas A temporada para entregar a declaração se aproxima e quem se organiza para cumprir a obrigação amplia as chances de fazer tudo certo.

As regras específicas para o IRPF 2023, ano-calendário 2022, ainda não foram divulgadas pela Receita Federal, todavia é possível se antecipar tendo como base as orientações válidas para anos anteriores.

Na declaração do IR, o contribuinte precisa prestar contas de todos os seus ganhos, como salários, aluguéis, investimentos e até prêmios de loteria.

Destaques sobre *** por e-mail

Além disso, é necessário informar todos os bens e direitos que faziam parte de seu patrimônio até 31 de dezembro de 2022, como, por exemplo, imóveis, veículos, joias, com valores acima de R$ 5 mil.

Vamos te dar algumas dicas. Acompanhe!

Vantagens em se preparar

Normalmente, o período para envio da declaração normalmente tem início em março e se encerra no final do mês de abril. Mas o contribuinte que começa a se preparar com antecedência tem mais tempo para reunir todos os documentos e comprovantes necessários. 

Além disso, consegue simular qual modelo de declaração é mais apropriado para seu caso e tem tempo de recorrer à orientação especializada, se desejar.

Dentre as vantagens de se antecipar estão:

  • Otimização tributária ao escolher a modalidade e forma de declaração mais adequada ao seu caso e aproveitar todas as deduções possíveis;
  • As chances de falhas de preenchimento diminuem;
  • Evitar o risco de cair na malha fina e receber multas;
  • Entrega dentro do prazo;
  • Mais rapidez na restituição, se for o casol;

Comece a se organizar para o IR 2023

Agora é o momento de separar e deixar à mão comprovantes relacionados a rendimentos (informe de rendimentos e comprovantes de outras fontes, entre outros), bens e direitos (compra ou venda de bens), pagamentos efetuados (principalmente de despesas dedutíveis), investimentos (apurações mensais e guias pagas), doações, dívidas.

Uma vez que tais informações deverão ser prestadas em vários campos da declaração.

O volume de itens pode ser grande, caso o declarante tenha muitos dependentes ou sua situação apresenta certa complexidade tributária.

Um ponto de atenção é a guarda desses documentos e informações por, no mínimo, cinco anos após a entrega da declaração à Receita Federal, já que o órgão pode, dentro deste prazo, fazer alguma exigência de apresentação.

Embora o processo de prestar contas ao Leão seja temido por algumas pessoas, a Receita Federal trabalha para facilitar esta tarefa. Para isso, vamos a algumas dicas que podem facilitar o envio da sua Declaração de Imposto de Renda 2023.

Tenha  uma conta gov.br nível Ouro 

No ano passado, a Declaração Pré-Preenchida facilitou bastante o processo de preenchimento do IR, uma vez que todas as informações de posse do Governo Federal e da Declaração do ano anterior já estavam disponíveis nos sistemas de preenchimento da Declaração. 

Todavia, para que utilizar este recurso é importante que a sua conta gov.br seja nível Ouro. Portanto, aproveite esse tempo e já faça uma, se ainda não o fez.

 

Organização dos documentos

Embora a Declaração Pré-Preenchida seja uma “mão na roda”, o contribuinte deve conferir todos os dados que foram inseridos na sua Declaração. neste caso, a recomendação é ter em mãos todos os documentos relacionados às fontes de renda, investimentos, patrimônio e despesas dedutíveis para checar as informações e acrescentar o que for necessário.

 

Investimentos 

Por fim, ainda que você não tenha sacado seus investimentos ou vendido suas ações, você deve declarar no seu imposto de renda a situação deles. Os investimentos fazem parte do seu patrimônio e por isso sua evolução deve ser informada na Declaração de Imposto de Renda.

- Anúncios -
Leia também
×
App O Trabalhador
App do Trabalhador
⭐⭐⭐⭐⭐ Google Play - Grátis