Empregado sem carteira assinada pode receber auxílio-doença?

É preciso cumprir algumas regras. Entenda mais na leitura a seguir
- Anúncios -

Provavelmente, você já ouviu falar sobre o auxílio-doença. Este é um dos benefícios mais pedidos do INSS. A autarquia tem sido muito dura na análise dos pedidos de auxílio-doença e está cada vez mais difícil passar nas perícias.

Nessa linha, é muito importante conhecer todos os detalhes deste benefício para garantir a sua concessão. Por isso, na leitura a seguir vamos falar quais os critérios para obter o auxílio-doença.

- Anúncios -

O que é o auxílio-doença?

O auxílio-doença é um benefício para os segurados do INSS que ficarem temporariamente incapacitados para o trabalho ou para a sua atividade habitual. Esta incapacidade pode ser total ou parcial, sendo parcial aquela que permite a reabilitação para outras atividades.

Qual diferença entre auxílio-doença e auxílio-doença acidentário?

Destaques sobre *** por e-mail

Há duas espécies de auxílio-doença no INSS. São dois benefícios com pequenas diferenças que não podem ser ignoradas. A principal diferença entre as duas espécies é a origem da incapacidade.

As duas espécies de auxílio-doença são as seguintes:

  1. Auxílio-doença comum;
  2. Auxílio-doença acidentário.

No auxílio-doença comum, a incapacidade é decorrente de uma doença sem relação com o trabalho. Após recuperar a sua capacidade, o beneficiário do auxílio-doença comum não tem direito à estabilidade.

Além disso, enquanto estiver afastado, a empresa não é obrigada a recolher o seu FGTS.

 Com relação ao auxílio-doença acidentário, a incapacidade é decorrente de acidente de trabalho. Ou seja, o segurado fica incapacitado para o trabalho por conta de um acidente no exercício de seu trabalho.

A legislação também considera acidente do trabalho para fins previdenciários:

  • Doença profissional;
  • Doença do trabalho;
  • Acidente sofrido no local de trabalho;
  • Doença decorrente de contaminação acidental no exercício da atividade; e
  • Acidente na realização ou prestação de um serviço fora do trabalho, em viagem a serviço ou no percurso entre a residência e o trabalho.

Após recuperar a capacidade, o empregado tem direito a uma estabilidade de 12 meses no trabalho. Além disso, enquanto o empregado estiver afastado por conta da incapacidade, a empresa deve depositar o seu FGTS mensalmente.

Quem tem direito ao auxílio-doença?

Para ter direito ao auxílio-doença, é preciso cumprir alguns requisitos. O trabalhador precisa cumprir três requisitos:

  1. Possuir qualidade de segurado;
  2. Cumprir a carência mínima de 12 meses; e
  3. Estar com uma incapacidade temporária para o trabalho.

Afinal, o trabalhador  sem carteira assinada pode receber auxílio-doença?

Sim, é possível! O empregado sem carteira assinada também pode receber o auxílio-doença. Ainda que trabalhe sem carteira assinada, o empregado é segurado do INSS. Porém, para garantir o seu benefício, ele vai precisar comprovar o seu vínculo de emprego por uma ação judicial.

O STJ entende que a sentença trabalhista é um “início de prova material” para fins previdenciários. Então o trabalhador deve buscar o reconhecimento do vínculo de emprego na Justiça do Trabalho e demonstrar ao INSS que realmente exerceu aquele trabalho.

A responsabilidade pela assinatura da Carteira de Trabalho é da empresa e não do empregado. Então o empregado não pode ser prejudicado por uma irregularidade que não teve culpa.

Finalmente, ainda que o relatório médico indique que o segurado deve ser afastado de suas atividades laborais, o pedido pelo auxílio-doença pode ser negado pelo INSS ou até mesmo ser concedido em período menor do que o recomendado.

Entretanto, caso isso ocorra, é preciso recorrer administrativamente, ou esperar por 30 dias para solicitar novamente o auxílio, ou verificar se há viabilidade e necessidade de um processo judicial.

- Anúncios -
Leia também
×
App O Trabalhador
App do Trabalhador
⭐⭐⭐⭐⭐ Google Play - Grátis