2,5 milhões de cidadãos do Rio perderam o direito ao auxílio emergencial

No ano de 2020, mais de 5.691.771 pessoas receberam o auxílio emergencial no Rio de Janeiro, os valores eram de R$ 300 e de R$ 600. No entanto, em 2021 o número de contemplados caiu de forma considerável para a faixa de 2.198.771. Neste ano, os valores são menores e variam entre o mínimo de R$ 150 e o máximo de R$ 375. 

Nesta semana, está sendo fornecido a segunda leva e hoje (19), estão recebendo aqueles que possuem o final do NIS com o número dois. 

Os dados encontrados estão presentes no site da Cidadania, pasta responsável por fornecer o programa social. 

As novas levas foram mais rígidas que em 2020 e, dessa vez, não foi possível que dois integrantes da mesma família passassem a receber. 

Pec emergencial e auxílio emergencial

Para que o auxílio emergencial fosse aprovado, foi necessário que assinassem a PEC Emergencial. Ela prevê uma série de cortes na saúde e na educação para que consigam injetar na economia os R$ 40 bilhões da nova leva. 

Dessa vez, apenas metade dos beneficiários estão recebendo. Vale ressaltar também que grande parte dos números caíram devido a descoberta de fraudes no sistema que muitas famílias e grupos recebiam sem ter o direito. 

Todos que receberam e aplicaram golpes ou omissões, devem responder a processos de estelionato caso não devolvam o valor do auxílio emergencial. 

Paola, que foi entrevistada pelo ExtraGlobo disse que a situação é trágica visto que, além da falta de incentivos em programas sociais, o Brasil enfrenta a falta de estoques de vacinas para a Covid-19 que já deixou mais de 400 mil mortos. O país está em segundo lugar em relação à quantidade de vítimas do coronavírus. 

O valor mínimo, de R$ 150, não consegue comprar metade de uma cesta básica com arroz, óleo, feijão e outros itens. 

Leia mais: