Qual o valor que deve ser pago como contribuição ao INSS?

Mesmo para quem não exerce atividade remunerada, é possível contribuir para o INSS e adquirir os direitos beneficiários da Previdência, como aposentadoria, auxílio-doença e pensão por morte.

A contribuição facultativa deve ser feita todos os meses através do pagamento da Guia de Previdência Social, mais conhecido como GPS. Os desempregados podem ser contribuintes facultativos, além de estudantes e donas de casa, sendo que para começar a contribuir é preciso ter ao menos 16 anos.

As contribuições são feitas mensalmente sobre os valores que podem variar de um salário mínimo (R$ 1.212,00) e chegando até o teto da contribuição que atualmente é de R$ 7.087,22.

Contribuinte do INSS pode escolher por até três alíquotas

Os contribuintes do INSS podem escolher até três alíquotas para realizar a sua contribuição mensal, sendo a partir de 5%, 11% e 20%, a depender do que vai chegar a sua renda e também existe a opção de ter direito só a aposentadoria por idade ou mesmo através do tempo de contribuição.

O pagamento pode ser feito no site do INSS, onde é possível consultar um passo a passo de como realizar o preenchimento do Guia da Previdência Social. Após realizar o preenchimento da GPS, o contribuinte deve colocar o respectivo código para o pagamento do INSS.

Também será necessário o número do PIS/PASEP do contribuinte, e no caso de ele ainda não possuir o número, onde vai poder se inscrever no INSS e gerar a GPS diretamente pelo aplicativo do Meu INSS.

Classificação por contribuinte facultativo

Existe uma classificação para definir onde se encaixa cada contribuinte facultativo. O código 1929 é o que classifica quem está em situação de baixa renda, tendo uma renda familiar que seja inferior a dois salários mínimos e que esteja com os dados atualizados no Cadastro Único.

A contribuição para estes será de 5% do salário mínimo, neste momento ficando em R$ 60,60 por mês. Pessoas que não exercem atividade remunerada como estudantes, se enquadram no código 1406.

A contribuição para o INSS pode chegar a até 20% do salário mínimo, sendo que este valor pode variar de R$ 242,40 e R$ 1.417,44 mensal. Essa contribuição dá direito a aposentadoria por idade ou contribuição, além de outros benefícios que são garantidos pelo INSS como o Auxílio-Doença e Pensão por Morte.