Lula segue liderando entre quem recebe Auxílio Brasil, diz nova pesquisa

Nova pesquisa do Instituto PoderData revela que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), segue liderando com folga entre os eleitores que recebem o Auxílio Brasil. Segundo as informações oficiais do levantamento, o petista conseguiu aumentar a diferença neste campo para o atual presidente Jair Bolsonaro (PL).

A pesquisa revela que 58% dos eleitores que recebem o Auxílio Brasil afirmam que devem votar em Lula nas eleições presidenciais deste ano. Na outra ponta está Bolsonaro, que atinge 25% neste mesmo público. No último levantamento, o placar já era favorável ao petista, mas com uma diferença menor: 52% a 32%.

Hoje, o novo levantamento revelou que a diferença entre os dois pré-candidatos neste público está na casa dos 33%. Trata-se, portanto, da maior distância entre os dois adversários desde que o Poder Data começou a medir este tipo de impressão. Informações de bastidores dão conta de que o PT recebeu os números com satisfação.

Vale lembrar que esta pesquisa foi realizada em um momento em que o aumento no valor do Auxílio Brasil ainda não chegou no bolso dos brasileiros. Segundo as informações do Ministério da Cidadania, os usuários do programa só poderão receber os valores turbinados do benefício social a partir do próximo dia 9 de agosto.

Por outro lado, é importante lembrar que o aumento em si já foi aprovado pelo Senado Federal e já foi promulgado pelo Congresso Nacional. Dessa forma, é possível afirmar que boa parte dos usuários já sabem que o valor do programa social vai subir, e mesmo assim a maioria ainda indica que deve votar em Lula nas eleições deste ano.

Auxílio Brasil e eleições

O programa Auxílio Brasil deverá ser um dos assuntos centrais nas eleições presidenciais deste ano. Dentro da pré-campanha de Bolsonaro, a ordem é citar o projeto social sempre que possível justamente para tentar conquistar mais eleitores neste campo.

Oficialmente, o valor do Auxílio Brasil vai subir de R$ 400 para R$ 600 a partir deste mês de agosto, ou seja, a menos de três meses para as eleições presidenciais deste ano. A PEC permite que os pagamentos aconteçam apenas até o final de 2022.

Outros candidatos também costumam falar do assunto. O pedetista Ciro Gomes, por exemplo, promete criar um novo programa de transferência de renda e dará o nome de Eduardo Suplicy. O pré-candidato cearense apresenta 6% das intenções de voto no público do Auxílio Brasil, segundo o Poder Data.

O ex-presidente Lula também costuma falar sobre o assunto sempre que possível. Em declarações recentes, o petista disse que pretende manter o valor de R$ 600 do Auxílio Brasil em 2023, mas afirma que deve retomar o nome do Bolsa Família, caso eleito.

×
App O Trabalhador
Aplicativo O Trabalhador
Grátis - Na Google Play
VER