Publicação antiga do UOL culpa ICMS pelo preço dos combustíveis

- Anúncios -

Em uma postagem antiga da UOL, o jornal questiona sobre os motivos do Rio de Janeiro ter o segundo maior valor de combustíveis se é responsável por cerca de 80% de todo o petróleo no país. O artigo foi publicado no ano de 2018, antes do presidente Bolsonaro se eleger e entrar para o cargo no ano de 2019.  Em suma, o artigo argumenta que a principal causa do aumento seria o próprio ICMS que está entre os maiores de todo o Brasil e ocupava a porcentagem de 34%.

Então, mesmo que o estado produza uma alta quantidade de petróleo, teria que enfrentar textos mais salgados. No ano de 2021, o mesmo jornal argumenta que não é o ICMS o culpado pelo alto valor dos combustíveis. 

- Anúncios -

A questão voltou à tona após os bolsonaristas se reunirem no feriado do dia 07 de setembro para solicitar o fim do ICMS e o voto impresso nas eleições no ano de 2022. O dólar voltou a ter altas de 2% um dia depois dos protestos, que também incluíram os caminhoneiros e tanqueiros. Já o Ibovespa, durante a manhã do dia 08 de setembro, caiu cerca de 2,5%,

O ICMS ocupa cerca de 25% a 33% de todo o valor dos combustíveis. No entanto, uma das causas do aumento também é o preço do dólar, visto que a Petrobras se baseia nele para definir os valores. Vale ressaltar que o preço do barril continua o mesmo que em 2014. No entanto, o dólar praticamente duplicou o valor.

O estado de Santa Catarina, mesmo contando com as menores taxas de arrecadação, cerca de 25%, também pode ter o valor do litro da gasolina superado a R$ 7 até o final do ano. O preço médio cobrado no estado é de R$ 5,90. Ou seja, o preço dos combustíveis depende de uma série de fatores que estão atrelados entre si.

- Anúncios -
Leia também
×
App O Trabalhador
App do Trabalhador
⭐⭐⭐⭐⭐ Google Play - Grátis