Auxílio Brasil: adicional de R$ 200 é permanente? Entenda

Dentro de mais alguns dias, o Governo Federal deverá iniciar os pagamentos turbinados do seu Auxílio Brasil. A ideia é aumentar o valor das liberações dos atuais R$ 400 para R$ 600, além de elevar o número de usuários em mais de 2 milhões de pessoas, o que pode fazer com que o programa atenda mais de 20 milhões de brasileiros.

As mudanças só serão possíveis por causa da aprovação da chamada PEC dos Benefícios. O texto já foi oficialmente promulgado pelo Congresso Nacional e já pode ser colocado em prática. Nesse sentido, alguns usuários ainda têm algumas dúvidas antes do início das novas liberações. Uma delas gira em torno da questão da duração de cada benefício.

Afinal de contas, o que é temporário e o que é permanente no novo Auxílio Brasil? De acordo com o Ministério da Cidadania, os pagamentos mínimos de R$ 400 do programa estão garantidos permanentemente. Dessa forma, mesmo a partir de 2023, as pessoas terão a garantia de recebimento do piso de R$ 400.

O que não é permanente, é mesmo o adicional de R$ 200 que a PEC dos Benefícios acabou de aprovar. De acordo com o texto oficial, o complemento em questão só está garantido apenas até o final deste ano. Logo depois, as pessoas voltam a receber o patamar natural do programa social, que neste caso é de R$ 400.

Durante a convenção do PL no último domingo (24), o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a sinalizar que poderá manter o auxílio de R$ 600 também para o próximo ano, caso seja reeleito. Todavia, trata-se apenas de uma promessa. Não há nenhuma oficialização da manutenção do benefício neste patamar.

Auxílio permanente

Como dito, a PEC dos Benefícios promove uma série de alterações no sistema de pagamentos de projetos sociais do Governo Federal. Além do aumento do tamanho do Auxílio Brasil, o poder executivo também pretende alterar outros pontos.

O vale-gás nacional, por exemplo, também passará por um aumento de valor. O programa, que pagava uma média de R$ 50 a cada dois meses, terá o patamar dobrado a partir de agosto. A mudança é válida apenas até o mês de dezembro deste ano.

É a mesma validade registrada para o Pix Caminhoneiro. O programa que também faz parte da PEC dos Benefícios prevê a liberação de um voucher de R$ 1 mil. A ideia é que os motoristas de caminhão recebam o dinheiro entre os meses de agosto e dezembro deste ano.

Outro programa que deve chegar ao fim junto com 2022, é o auxílio-taxista. O novo projeto ainda não tem valor e nem forma de pagamento definidos. Contudo, a PEC dos Benefícios também já adiantou que os repasses não serão feitos em 2023.

×
App O Trabalhador
Aplicativo O Trabalhador
Grátis - Na Google Play
VER