Entenda o que é e como funciona o consignado do Auxílio Brasil

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro (PL) decidiu sancionar o texto da lei que libera o consignado para usuários que fazem parte do Auxílio Brasil. Desde então, algumas financeiras já estão liberadas para apresentar os seus créditos. Algumas já apresentaram as suas taxas de juros nos últimos dias.

Embora a liberação já tenha acontecido, o fato é que alguns usuários do Auxílio Brasil ainda não sabem exatamente o que é o consignado, e muito menos se a solicitação do crédito é vantajosa ou não. Hoje, estima-se que mais de 20 milhões de brasileiros tenham a liberdade para fazer a escolha de pedir ou não o dinheiro.

O empréstimo consignado nada mais é do que uma modalidade de crédito que permite que o cidadão retire o dinheiro e pague de volta na forma de descontos no benefício. Ao contrário de outras modalidades, no consignado o indivíduo não precisa se preocupar com a situação do pagamento, já que ele acontece de forma automática.

Ainda não ficou claro? Vamos para um exemplo. Imagine que um cidadão que faz parte do Auxílio Brasil pede um consignado de R$ 500 junto ao Banco do Brasil. Ele recebe todo o dinheiro de uma vez, e logo depois começa a ter descontos de até 40% nas parcelas do programa social até que quite completamente a dívida.

Como qualquer outra modalidade de empréstimo, o consignado também conta com taxas de juros. Dessa forma, o cidadão tecnicamente vai pagar mais do que aquilo que recebeu. De acordo com um levantamento realizado pelo portal UOL, a taxa oferecida neste primeiro momento é três vezes maior do que a média do mercado.

Cuidados com o consignado

Como se sabe, ninguém é obrigado a solicitar o consignado do programa Auxílio Brasil. Assim, caso um usuário considere que não é vantajoso pegar a quantia agora, ele não precisa fazer nenhuma solicitação, e não terá nenhum desconto nos recebimentos.

De uma maneira geral, é impossível definir se o empréstimo é vantajoso ou não. Afinal de contas, cada caso é um caso diferente. Cada beneficiário precisa pensar e fazer as contas para definir se o recebimento do dinheiro agora pode ser uma boa opção.

Caso você precise do saldo para pagar contas mensais ou mesmo para comprar comida ou peças de vestuário, é provável que o consignado não seja uma boa pedida. Afinal, você seguirá tendo as mesmas despesas nos meses seguintes, e o valor do Auxílio Brasil que receberá será menor por causa dos descontos.

Todavia, se você faz parte do grupo de pessoas que precisam do dinheiro para comprar um material de trabalho ou qualquer outro item que possibilite um retorno, o consignado pode ser uma boa ideia. Neste caso, o benefício seria um investimento.

×
App O Trabalhador
Aplicativo O Trabalhador
Grátis - Na Google Play
VER