Líder da oposição dá posicionamento sobre Auxílio de R$ 600

Líder do atual governo de Bolsonaro deu a sua impressão sobre a proposta de Lula para manter o Auxílio Brasil na casa dos R$ 600 no próximo ano
- Anúncios -

O Governo eleito está trabalhando nesta semana para bancar o Auxílio Brasil de R$ 600 também para o próximo ano. Segundo as informações de bastidores, a ideia é a apresentar oficialmente a proposta ao Congresso Nacional já nesta quarta-feira (16). Mas afinal de contas, o que pensa a oposição sobre o assunto?

Este é um ponto decisivo em toda esta história. Para conseguir aprovar uma PEC, o governo eleito vai precisar do apoio de 3/5 da Câmara dos Deputados e outros 3/5 do Senado Federal. Isto significa dizer que Lula vai precisar do apoio para além da sua base. Vai ter que conquistar votos de parlamentares bolsonaristas.

- Anúncios -

Em declarações nesta semana, o senador Carlos Portinho (PL-RJ), líder da bancada do atual governo Bolsonaro na casa, sinalizou que deve apoiar a manutenção do valor do Auxílio Brasil na casa dos R$ 600 em 2023, já que esta também era uma promessa de Bolsonaro. Mas fez críticas ao plano de apresentação da PEC.

“A PEC da Picanha (PEC da Transição) é como o filhote de pombo que você nunca viu, mas dizem que existe. No Senado nós sempre estivemos abertos ao diálogo. Com relação a essa PEC, o que eu sei pela imprensa e a gente não sabe quem é o ministro da Economia que vai atualizar esse cheque”, disse ele.

“A gente então sem ministro, sem proposta porque o que eu sei é pela imprensa, sem valor porque ela começou com R$ 50 bilhões, já escutei na imprensa R$ 60 bi, R$ 80 bi, R$ 200 bi. Capaz de demorar mais uma semana e já ser de R$ 500 bilhões”, seguiu o Senador.

Destaques sobre *** por e-mail

A PEC da Transição e o Auxílio

A expectativa do Congresso Nacional é que a PEC da Transição seja apresentada nesta quarta (16), com a proposta de de retirar as despesas com o Bolsa Família do teto de gastos públicos nos próximos quatro anos.

Com o movimento, o governo Lula III conseguiria um passe para gastar a cada ano pouco mais de R$ 175 bilhões. Este dinheiro poderia servir para a manutenção do valor do Auxílio Brasil na casa dos R$ 600 em janeiro, além de bancar o pagamento do benefício adicional de R$ 150 por filhos menores de seis anos.

Em declaração recente, outro líder da futura oposição, o Ministro Chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, disse que deve apoiar os pontos que foram comuns às duas campanhas nas eleições, ou seja, o Auxílio de R$ 600 e o aumento real do salário mínimo.

Ele não deixou claro se vai apoiar os demais pontos que estão sendo sinalizados pelo PT.

- Anúncios -
Leia também
×
App O Trabalhador
App do Trabalhador
⭐⭐⭐⭐⭐ Google Play - Grátis